9 Impactos Ambientais da Energia Solar

O sol é um recurso fantástico para a produção de electricidade sustentável e já foi dito que não contribui para aquecimento global ou poluir o meio ambiente.

Você provavelmente já ouviu falar sobre as diversas maneiras energia solar pode ajudar o meio ambiente à medida que mais e mais pessoas começam a recorrer energia renovável. Bem, neste artigo, daremos uma olhada nos impactos ambientais da energia solar, sejam eles positivos ou negativos.

Nossa dependência de recursos não renováveis como os combustíveis fósseis e a redução das emissões de carbono são duas das vantagens mais amplamente reconhecidas da eletricidade solar. Porém, como a energia solar impacta o ecossistema?

Dependendo da tecnologia, que pode ser dividida em duas categorias: células solares fotovoltaicas (PV) ou centrais térmicas solares de concentração (CSP), os possíveis efeitos ambientais da energia solar – utilização do solo e perda de habitat, utilização da água e utilização de materiais perigosos na fabricação – podem variar muito.

A escala do sistema, que pode variar desde conjuntos fotovoltaicos modestos e dispersos em telhados até instalações fotovoltaicas e CSP substanciais em escala de utilidade pública, influencia muito o grau de efeito ambiental.

Impactos Ambientais da Energia Solar

A energia solar também tem muitos efeitos benéficos sobre o meio ambiente, mas existem alguns impactos ambientais negativos da energia solar, listados abaixo:

  • A energia solar é melhor para o meio ambiente
  • Uso da terra
  • Perda de habitat
  • Perturbação do Ecossistema
  • Solar reduz emissões de gases de efeito estufa
  • Uso de água
  • Materiais perigosos
  • Resíduos de painéis solares
  • Reciclagem

1. A energia solar é melhor para o meio ambiente

A extracção de combustíveis fósseis para energia teve efeitos negativos em certos ecossistemas locais. À medida que os habitats são destruídos e a vegetação é removida para dar lugar a operações energéticas como a perfuração de infra-estruturas, muitas plantas e animais sofrem.

Por outro lado, fontes de energia renováveis ​​como a solar podem apoiar a recuperação do ecossistema. As usinas solares podem ser montadas no topo de edifícios e ocupam muito menos espaço durante a instalação. Além disso, painéis solares não polua o ar ou a água, prejudicando tanto os seres humanos como a vida selvagem.

A produção de combustíveis fósseis envolve perfuração, queima e mineração, que emitem emissões de gases de efeito estufa na atmosfera. Estas emissões de gases com efeito de estufa, que incluem o dióxido de carbono, prejudicam o ambiente. Ao escolher fontes de energia renováveis, como a energia solar, podemos reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e evitar danos adicionais ao meio ambiente.

Em geral, a energia solar pode ajudar a sua cidade a diminuir as emissões de gases com efeito de estufa, a poluição e a restauração dos ecossistemas – todos fatores essenciais para proteger as pessoas, a vida selvagem e ecossistemas inteiros. Como resultado, é necessária menos água para produzir energia e o ar torna-se mais respirável.

2. Uso da Terra

As instalações energéticas para muitos tipos convencionais de eletricidade necessitam de uma grande quantidade de espaço, incluindo muitos terrenos valiosos. Felizmente, existem diferenças nas regulamentações de uso do solo para sistemas solares.

Uma vantagem dos sistemas solares é que eles podem ser instalados em locais isolados com solo descoberto ou colocados no telhado. Com o avanço da tecnologia, os sistemas solares terão capacidades aprimoradas para ajudar no uso do solo. No geral, a pequena quantidade de terra exigida pelos sistemas solares pode ser benéfica para o ecossistema local.

No entanto, instalações solares de grande escala podem causar preocupações sobre a perda de habitat e degradação do solo, dependendo de onde eles estão localizados. A área total necessária varia de acordo com a tecnologia, localização, topografia e intensidade de recursos solares.

Estima-se que os sistemas fotovoltaicos em escala de utilidade pública exijam entre 3.5 e 10 acres por megawatt, enquanto as instalações CSP requerem entre 4 e 16.5 acres por megawatt.

As instalações solares têm menos probabilidades de coexistir com utilizações agrícolas do que as instalações eólicas. Os sistemas solares à escala de serviços públicos podem, no entanto, diminuir os seus efeitos negativos sobre o ambiente ao serem instalados em áreas menos desejáveis, tais como brownfields, antigas minas ou linhas de transmissão e tráfego existentes.

Painéis solares fotovoltaicos menores têm menos influência no uso do solo e podem ser instalados em propriedades residenciais ou comerciais.

3. Perda de habitat

O terreno é necessário para instalação de sistema de energia solar para colocação de painéis solares. Qualquer terreno que tenha sido desmatado e urbanizado para instalação de painéis solares é considerado habitat perdido, embora determinados locais sejam mais adequados para este tipo de instalação do que outros. A instalação de painéis solares em edifícios já existentes pode ajudar a prevenir este problema.

4. Perturbação do ecossistema

Os ecossistemas locais podem sofrer muito se as árvores ou outras plantas forem removidas para dar lugar aos painéis solares. Além disso, a construção de estradas e linhas de transmissão necessárias para facilitar o desenvolvimento de projectos de energia solar em grande escala tem o potencial de perturbar a vida selvagem, fragmentar ecossistemas e trazer espécies não nativas.

5. Solar reduz emissões de gases de efeito estufa

Em contraste com combustíveis fósseis, que deve ser extraída, perfurada, transportada e queimada para gerar energia, as fontes de energia solar são fontes de energia limpas e renováveis ​​que não emitem emissões nocivas de carbono que afetam a atmosfera ou os cursos de água.

A redução destes poluentes poderia salvar 25,000 vidas porque são prejudiciais tanto para a saúde humana como para a vida selvagem. Ao reduzir a nossa dependência de recursos limitados que prejudicam o ambiente, a energia solar sustentável salvaguardará as nossas infra-estruturas e contribuirá para a preservação da saúde do planeta.

No geral, a energia solar tem um impacto amplamente positivo no meio ambiente. É crucial lembrar, porém, que tanto o fabrico dos painéis como a recolha dos materiais necessários para os fabricar – como o vidro e determinados metais – podem prejudicar o ambiente.

No entanto, segundo especialistas, os painéis solares podem compensar a energia utilizada para criá-los em um a quatro anos. Além disso, os sistemas têm uma vida útil de 30 anos, o que significa que ao longo da sua vida útil, os painéis solares podem mais do que compensar os seus custos ambientais de produção.

Preocupações em torno da energia solar e do uso do solo também estão presentes. Alguns estão preocupados com o facto de a instalação de painéis solares em projectos de grande escala poder deteriorar a terra e causar a perda de habitat.

Para evitar a degradação do solo em habitats já existentes, grandes projetos de painéis solares podem ser instalados em locais de baixa qualidade, como instalações mineiras abandonadas. A instalação de painéis no topo de edifícios existentes também pode reduzir o uso do solo. No entanto, os potenciais danos aos solos e aos habitats podem ser minimizados ou mesmo eliminados.

Claro, existem alguns problemas com os painéis solares. Felizmente, com uma preparação cuidadosa e atenção às técnicas de eliminação adequadas, os possíveis problemas podem ser evitados.

6. Uso da Água

A água não é necessária para as células solares fotovoltaicas produzirem energia. Ainda assim, parte da água é utilizada na produção de componentes solares fotovoltaicos, assim como em qualquer outro processo de fabricação.

A água é necessária para o resfriamento em usinas solares térmicas concentradas (CSP), assim como em outras usinas termelétricas. O tipo de sistema de resfriamento, a localização e o projeto da planta afetam a quantidade de água usada.

Para cada megawatt-hora de energia gerada, as usinas CSP com torres de resfriamento e tecnologia de recirculação úmida removem de 600 a 650 galões de água. Como a água não é perdida na forma de vapor, as instalações CSP que utilizam tecnologia de resfriamento único apresentam níveis mais elevados de retirada de água, mas menor uso geral de água.

Quase 90% menos água é usada nas instalações da CSP quando a tecnologia de resfriamento a seco é implementada. No entanto, a menor eficiência e o aumento das despesas são os custos associados a esta poupança de água. Além disso, a eficiência da técnica de resfriamento a seco diminui drasticamente acima de 100 graus Fahrenheit.

A análise cuidadosa destas compensações hídricas é crucial porque muitos dos locais dos Estados Unidos com o maior potencial para a energia solar também têm os climas mais secos.

7. Materiais Perigosos

Muitos compostos perigosos são empregados no processo de produção de células fotovoltaicas; a maioria desses materiais é usada para limpar e purificar a superfície do semicondutor.

Essas substâncias incluem ácido clorídrico, ácido sulfúrico, ácido nítrico, fluoreto de hidrogênio, 1,1,1-tricloroetano e acetona. Eles são comparáveis ​​aos utilizados no negócio geral de semicondutores.

O tipo de célula, o grau de limpeza necessário e o tamanho da pastilha de silício influenciam a quantidade e o tipo de produtos químicos empregados. Existem preocupações para os trabalhadores que respiram pó de silício.

Para evitar a exposição dos trabalhadores a produtos químicos tóxicos e para garantir que os resíduos de produção sejam eliminados de forma adequada, os fabricantes de energia fotovoltaica são obrigados a cumprir as regras dos EUA.

Em comparação com as células fotovoltaicas de silício convencionais, as células fotovoltaicas de película fina contêm vários componentes mais perigosos, como arsenieto de gálio, disseleneto de cobre-índio e gálio e telureto de cádmio.

O manuseio e descarte inadequados desses itens podem apresentar riscos significativos ao meio ambiente ou à saúde pública. Os fabricantes estão motivados financeiramente, portanto, para garantir que estes materiais extremamente preciosos e frequentemente incomuns sejam reciclados e não descartados.

8. Resíduos de painéis solares

Algumas projeções afirmam que por 2050, o lixo mundial de painéis solares poderá atingir 78 milhões de toneladas. Este volume de resíduos será extremamente difícil de ser tratado pelas empresas de reciclagem porque ainda não dispõem de soluções de eliminação adequadas, como em aterros.

A boa notícia é que este problema foi identificado precocemente e que várias empresas já desenvolveram soluções acessíveis (garantias de produto mais longas) e tecnológicas (tecnologias de reciclagem).

9. Reciclagem

O que acontece se os painéis solares funcionarem mal ou forem retirados de serviço?  Reciclagem de painéis solares ainda não se tornou um problema significativo, mas como os painéis solares precisam ser substituídos, isso acontecerá nas décadas seguintes.

Atualmente, os módulos solares podem ser descartados junto com outros lixos eletrônicos comuns. As nações que carecem de mecanismos adequados para a eliminação do lixo eletrónico são mais vulneráveis ​​a problemas com reciclagem.

Conclusão

A geração de energia solar tem algumas desvantagens, assim como outras tecnologias de geração de energia. No entanto, esses efeitos não são tão grandes. Até que cresçam o suficiente, eles não prejudicam nem alteram a ecologia e o equilíbrio.

O melhor da energia solar é que, uma vez que pode ser gerada e utilizada localmente pelos indivíduos, os seus efeitos negativos podem ser reduzidos. Ao contrário dos grandes painéis solares, os sistemas solares são normalmente instalados em telhados por proprietários de residências ou empresas e não necessitam de água para resfriamento.

A energia solar é, portanto, inquestionavelmente uma escolha muito mais ecológica e tem um efeito ambientalmente sustentável.

Recomendações

Um ambientalista apaixonado de coração. Redator líder de conteúdo na EnvironmentGo.
Eu me esforço para educar o público sobre o meio ambiente e seus problemas.
Sempre foi sobre a natureza, devemos proteger, não destruir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *