8 desastres naturais comuns na República Dominicana

Furacões, terremotos e tsunamis são alguns dos desastres naturais mais comuns no República Dominicana, e estas catástrofes naturais provocam graves efeitos ambientais e económicos nos habitantes deste país se não estiverem preparados para elas antes de ocorrerem.

Estando exposta a muitos desastres naturais que ocorrem continuamente, a República Dominicana é considerada um hotspot de desastres naturais.

Desastres naturais são eventos ou fenômenos repentinos que ocorrem no ambiente natural meio Ambiente e pode resultar em danos significativos à vida humana, à propriedade e ao meio ambiente. Processos ou forças naturais normalmente causam esses eventos e podem ter efeitos generalizados e consequências destrutivas.

Os desastres naturais ocorrem em quase todas as partes do mundo, de uma forma ou de outra. Embora alguns locais sofram estes desastres em níveis mais perigosos, os perigos causados ​​pela ocorrência destes eventos naturais noutros locais podem ser relativamente baixos ou podem até nem ocorrer.

Isto se deve a alguns fatores ambientais que podem aumentar ou reduzir o risco de ocorrência de desastres naturais em diversas localizações geográficas.

Algumas atividades antrópicas desencadeiam a ocorrência de alguns destes desastres. Por exemplo, uma inundação é um desastre natural e pode ser desencadeada por causas humanas, tais como a falha de uma barragem, como resultado de más condições de vida. construção de barragem, erros de engenharia e práticas de gerenciamento.

Fatores que aumentam a propensão a desastres naturais

Conforme afirmado acima, alguns locais apresentam ocorrências de desastres naturais mais frequentes do que outros. Alguns factores naturais e, em raras ocasiões, antropogénicos, contribuem para a desigualdade na propensão de um local geográfico a desastres naturais. Esses fatores estão nas seguintes categorias:

  • Localização geográfica
  • Condições Ambientais e Meteorológicas
  • Fatores geológicos
  • Fatores Hidrológicos

1. Localização geográfica

Isto considera a proximidade do país aos limites das placas tectónicas e a proximidade costeira como a natureza da topografia do país.

2. Condições Ambientais e Meteorológicas

As estações secas, chuvosas ou de monções podem influenciar a probabilidade de secas, inundações e deslizamentos de terra. Além disso, os países cujas localizações estão no caminho de furacões, tufões ou ciclones são mais propensos a sofrer a ocorrência de desastres naturais.

3. Fatores geológicos

Fatores geológicos, como a composição do solo e as atividades tectônicas, são considerados ao avaliar a propensão de uma determinada localização geográfica a desastres naturais.

4. Fatores Hidrológicos

Países com extensas redes fluviais, barragens e reservatórios mal conservados podem sofrer inundações durante períodos de fortes chuvas ou degelo e em caso de ruptura de uma barragem.

Outros factores humanos que aumentam a propensão do país a desastres naturais incluem;

  • Mudanças Climáticas e Degradação Ambiental
  • Infraestrutura e Uso do Solo
  • Fatores socioeconômicos

Estes factores antropogénicos tornam ainda mais difícil para uma cidade ou local propenso a mitigar os efeitos de um desastre natural quando este ocorre.

Por que a República Dominicana é propensa a desastres naturais

A República Dominicana é considerada um hotspot de desastres naturais devido à sua propensão a desastres naturais como secas, terremotos, inundações, furacões, deslizamentos de terra, ondas de calor, tempestades tropicais e tsunamis.

A República Dominicana assistiu a cerca de 40 catástrofes naturais que afectaram 40% da sua população entre 1980 e 2008. Isto deixou de facto a sua marca na economia desta nação e nos cidadãos em geral.

Este facto mostra que a tendência de um terremoto neste país caribenho é elevada; portanto, não é surpresa a quantidade de medidas tomadas para mitigar os efeitos e reduzir a perda de vidas e propriedades.

A suscetibilidade da República Dominicana aos desastres naturais depende da sua localização geográfica e de diversos fatores ambientais, que discutiremos a seguir.

  • Atividade Tectônica
  • Localização Caribenha
  • Recursos de terreno e relevo
  • Geografia Costeira
  • Sistemas fluviais
  • Mudanças Climáticas

1. Atividade Tectônica

O país está localizado próximo à fronteira das placas tectônicas da América do Norte e do Caribe. Este cenário geológico torna-o suscetível a terremotos e atividade vulcânica potencial, embora as erupções vulcânicas não sejam comuns na própria República Dominicana.

2. Localização Caribenha

As regiões do Caribe são conhecidas por estarem no caminho de tempestades tropicais e outros fenômenos meteorológicos extremos. As águas quentes do Mar do Caribe são criadouros de furacões, e países como a República Dominicana encontram-se no caminho destas tempestades durante as temporadas de furacões no Atlântico.

3. Recursos de terreno e relevo

A República Dominicana possui áreas montanhosas, principalmente nas partes centro e norte do país. Estas montanhas podem contribuir para o risco de deslizamentos de terra, especialmente durante períodos de fortes chuvas ou atividade sísmica.

4. Geografia Costeira

Este país possui uma extensa costa ao longo do Mar do Caribe e do Oceano Atlântico. As áreas costeiras são vulneráveis ​​a tempestades e tsunamis, tornando-as suscetíveis a danos durante furacões e eventos sísmicos subaquáticos.

5. Sistemas fluviais

O país possui numerosos rios, que podem transbordar e causar inundações durante fortes chuvas, furacões ou tempestades tropicais. Sistemas fluviais mal geridos e a desflorestação podem agravar o risco de inundações.

6. Mudanças Climáticas

Os efeitos das alterações climáticas, incluindo a subida do nível do mar e o aumento das temperaturas, podem intensificar a frequência e a gravidade de certas catástrofes naturais, como furacões e secas.

Esses fatores contribuem para a probabilidade de um local sofrer desastres naturais. No entanto, algumas atividades antrópicas agravam os efeitos posteriores da infeliz ocorrência. Fatores provocados pelo homem, como o desmatamento e algumas atividades económicas, determinam a extensão dos danos causados ​​quando há um desastre.

Desastres Naturais na República Dominicana

Os desastres naturais comuns aos quais a República Dominicana se encontra suscetível incluem;

  • furacões
  • Tempestades tropicais
  • Alagamentos
  • Deslizamentos
  • Seca
  • Terremotos
  • Tsunami
  • Extremos de temperatura e ondas de calor
  • Ciclones tropicais
  • Tornados

1. Furacões

Furacões são tempestades tropicais intensas com ventos sustentados de pelo menos 74 milhas por hora (119 quilômetros por hora). Eles podem trazer chuvas fortes, ventos fortes, tempestades e destruição generalizada. A temporada de furacões normalmente vai de 1º de junho a 30 de novembro.

A República Dominicana é altamente vulnerável a furacões e é frequentemente afetada por furacões e tempestades tropicais devido à sua posição no Caribe. O impacto pode ser devastador, causando danos significativos às infra-estruturas, às habitações e à agricultura, e colocando riscos para vidas humanas.

O período mais ativo costuma ser entre agosto e outubro, e a frequência e a gravidade dos furacões podem variar de ano para ano.

O furacão mais severo que atingiu a República Dominicana em 2023 é o furacão Franklin que, pela classificação internacional de furacão Saffir-Simpson, corresponde à categoria de furacão de tempestade tropical.

Saiba mais sobre furacões clicando no link abaixo para assistir ao vídeo.

https://youtu.be/21Ipv4OAmus?si=hMzmJGzBVYqLGj7r

Os furacões, quando ocorrem, trazem fortes chuvas, causando inundações, deslizamentos de terra e transbordamentos de rios. Os ventos fortes podem causar danos estruturais em edifícios e casas, arrancar árvores e derrubar linhas de energia, resultando em cortes de energia. As tempestades, especialmente nas zonas costeiras, podem causar graves inundações e danos.

à medida que o mudanças climáticas e o ambiente continuar a deteriorar-se, espera-se que a recorrência de furacões aumente. Como tal, o país continua a investir no desenvolvimento de infra-estruturas, sistemas de alerta precoce e medidas de redução do risco de catástrofes para melhor resistir e responder a estas catástrofes naturais.

2. Tempestades Tropicais

As tempestades tropicais são sistemas climáticos poderosos caracterizados por tempestades e ventos fortes. Eles se originam nas águas oceânicas quentes, onde a combinação de alta umidade, temperaturas quentes da superfície do mar (geralmente acima de 80°F ou 27°C) e instabilidade atmosférica criam as condições certas para o seu desenvolvimento.

Eles normalmente começam como depressões tropicais e pode intensificar-se em tempestades tropicais se a velocidade sustentada do vento atingir 39 a 73 milhas por hora (63 a 118 quilómetros por hora).

Na República Dominicana, as tempestades tropicais são outro perigo natural significativo e recorrente devido à sua localização nas Caraíbas. Eles são experientes, principalmente durante a temporada de furacões.

O governo estabeleceu planos de preparação para emergências, incluindo sistemas de alerta precoce e procedimentos de evacuação, para mitigar o impacto das tempestades tropicais na população.

Os esforços centram-se em garantir a segurança pública, minimizar os danos materiais e gerir as consequências através de iniciativas rápidas de resposta e recuperação. O país está continuamente a trabalhar no reforço da resiliência e das infraestruturas para melhor resistir e responder a estas catástrofes naturais recorrentes.

3. Inundação

Alagamentos é o transbordamento da água para a terra seca. As inundações na República Dominicana são um perigo natural recorrente e significativo, especialmente durante a estação chuvosa e na sequência de tempestades tropicais ou furacões.

O país enfrenta o risco de transbordamentos de rios, inundações repentinas e inundações costeiras devido a fortes chuvas, sistemas de drenagem inadequados e desmatamento em algumas áreas.

Vários factores contribuem para a ocorrência de cheias neste país, e incluem;

A República Dominicana sofreu várias inundações significativas ao longo da sua história e, como tal, é um desafio apontar uma como a mais devastadora, devido aos registos variados e às diferentes regiões afetadas.

No entanto, ocorreu uma inundação notavelmente devastadora em Maio de 2004. Esta inundação resultou de vários dias de fortes chuvas causadas pela tempestade tropical Jeanne, que provocou inundações generalizadas e deslizamentos de terra em todo o país.

A tempestade provocou o transbordamento de rios, provocando inundações significativas em várias regiões, particularmente na parte norte do país. As inundações resultaram em grandes danos a infra-estruturas, casas e terras agrícolas e levaram à trágica perda de vidas.

O impacto desta inundação foi severo, tornando-a uma das inundações mais devastadoras na memória recente para a República Dominicana.

A recuperação das inundações envolve extensos esforços de reabilitação, incluindo a remoção de escombros, a restauração de infra-estruturas e a prestação de ajuda humanitária às comunidades afectadas.

O governo da República Dominicana continuou a implementar medidas para mitigar o impacto das inundações, investindo em alguns tecnologias modernas e inovações de segurança, tais como sistemas de alerta precoce, planos de resposta a emergências e construção de infra-estruturas para gerir o fluxo de água.

Mas, no geral, o desenvolvimento e a manutenção de infra-estruturas resilientes continuam a ser uma prioridade para reduzir a vulnerabilidade da população à ameaça recorrente de inundações na República Dominicana.

4. Deslizamentos

Os deslizamentos de terra na República Dominicana são eventos geológicos caracterizados pelo movimento de rochas, solo e detritos em uma encosta.

Alguns dos fatores que contribuem para a ocorrência de deslizamentos de terra na República Dominicana incluem:

  • Chuvas fortes e eventos climáticos
  • Terreno íngreme
  • Desmatamento e Erosão do Solo

i. Chuvas fortes e eventos climáticos

Chuvas intensas ou prolongadas, especialmente durante tempestades tropicais e furacões, saturam o solo, aumentando a sua instabilidade e probabilidade de movimento.

ii. Terreno íngreme

Locais montanhosos da República Dominicana, especialmente em regiões como a Cordilheira Central, a Serra de Bahoruco, a Serra de Neiba, etc., são mais suscetíveis a deslizamentos de terra.

Além disso, várias regiões montanhosas em todo o país, especialmente em zonas com solos instáveis ​​ou onde ocorreu desflorestação, correm o risco de sofrer deslizamentos de terra.

iii. Desmatamento e Erosão do Solo

A desflorestação e as más práticas de gestão da terra contribuem para a erosão do solo, reduzindo a estabilidade da terra e tornando-a mais propensa a deslizamentos de terra.

Muitas vezes, os deslizamentos de terra também são provocados por uma série de outros desastres relacionados, como terremotos e inundações, que tornam o solo instável.

Os deslizamentos de terra na República Dominicana podem causar graves danos à infraestrutura, às residências e às terras agrícolas. Também representam riscos significativos para vidas e propriedades, especialmente em áreas com encostas íngremes ou terrenos instáveis.

O governo está a trabalhar para mitigar o impacto dos deslizamentos de terra através de medidas como planeamento do uso da terra, esforços de reflorestação, estabilização de encostas e campanhas de sensibilização pública para minimizar os riscos em áreas vulneráveis.

Os planos de resposta a emergências também visam garantir uma ação rápida em caso de deslizamentos de terra para proteger vidas e reduzir o impacto nas comunidades.

5. Seca

Secas na República Dominicana ocorrem devido a longos períodos de precipitação significativamente abaixo da média, levando à escassez de água e a impactos adversos na agricultura, nos recursos hídricos e nas comunidades.

Devido ao clima imprevisível e aos padrões irregulares de precipitação, várias partes da República Dominicana foram afectadas pela seca. Algumas dessas regiões incluem:

  • O Vale do Cibao, que inclui cidades como Santiago e La Vega
  • Áreas no sudoeste, como Barahona, e no oeste, incluindo San Juan de la Maguana
  • Partes das áreas central e oriental, como Hato Mayor e El Seibo.

Seca e escassez de água pode ser impactado por alguns fatores naturais. As atividades antropogênicas só intensificam seu efeito quando chegam. Alguns desses fatores incluem:

  • Variabilidade da precipitação: Muitas regiões da República Dominicana estão passando por secas devido a padrões irregulares de chuva e clima imprevisível.
  • Mudanças Climáticas e Variabilidade: A mudança dos padrões climáticos pode exacerbar a frequência e a intensidade das secas, afectando a disponibilidade de recursos hídricos.
  • Desafios da Gestão da Água: Práticas ineficientes de gestão de água e infraestrutura inadequada para armazenamento de água e a distribuição podem intensificar o impacto das secas.

A escassez de água que resulta da seca prolongada na República Dominicana afecta vários aspectos da sua existência como país.

O sector agrícola da República Dominicana, que é um sector económico importante, com produtos como a cana-de-açúcar, o café, o cacau e o tabaco a contribuírem significativamente para o consumo interno e para as exportações, é afectado pela seca, uma vez que rendimentos agrícolas e pecuários declínio.

A implementação de medidas como iniciativas de conservação de água, sistemas de irrigação melhorados e cultivo de culturas resistentes à seca são algumas das medidas eficazes que o governo tomou para mitigar os efeitos das secas.

Contudo, campanhas mais educativas de sensibilização pública e planeamento para a gestão dos recursos hídricos também desempenharão um papel na redução da vulnerabilidade da população durante estes períodos de seca.

6. Terremoto

Terremotos são fenômenos naturais caracterizados pela agitação ou tremor repentino da superfície da Terra. As ondas sísmicas são produzidas quando a energia é liberada na crosta terrestre. O ponto na superfície da Terra diretamente acima de onde o terremoto se origina é chamado de epicentro.

A República Dominicana, localizada no Caribe, faz parte da região sismicamente ativa conhecida como Placa Caribenha. Os terremotos nesta região são principalmente o resultado das complexas interações entre a Placa Caribenha e a Placa Norte-Americana.

A República Dominicana sofreu atividades sísmicas no passado, com terremotos ocorrendo ao longo de várias falhas geológicas na região.

Um notável terremoto histórico na República Dominicana ocorreu em 4 de agosto de 1946. Conhecido como terremoto da República Dominicana, teve magnitude de 8.1 e causou danos significativos no país, principalmente em Santo Domingo. O terremoto desencadeou um tsunami que afetou as áreas costeiras do Caribe.

No dia 10 de novembro de 2023, um terremoto de magnitude 5.0 atingiu o noroeste da República Dominicana, perto da fronteira com o Haiti.

O Serviço Geológico dos EUA informou que o terremoto ocorreu a uma profundidade de 12 quilômetros, aproximadamente a oeste-noroeste de Las Matas de Santa Cruz. A República Dominicana experimentará seu maior evento sísmico de 19 com este.

Assista ao vídeo abaixo para dar uma espiada no que aconteceu na República Dominicana neste dia.

É essencial que as regiões propensas a terramotos tenham códigos de construção e infra-estruturas que considerem a actividade sísmica para minimizar o impacto de potenciais terramotos nas comunidades. Além disso, a sensibilização e a preparação do público desempenham um papel crucial na redução dos riscos e consequências associados aos eventos sísmicos.

7. Tsunamis

A tsunami é uma série de ondas oceânicas com comprimentos de onda extremamente longos e alta energia, muitas vezes causadas por perturbações subaquáticas, como terremotos, erupções vulcânicas ou deslizamentos de terra. Quando essas perturbações deslocam um grande volume de água, desencadeiam uma série de ondas que podem viajar por bacias oceânicas inteiras.

Embora a República Dominicana não seja normalmente associada a eventos frequentes de tsunamis, não está imune ao impacto potencial dos tsunamis gerados por Atividade sísmica na região circundante. A ameaça de tsunami mais significativa nas Caraíbas provém do potencial de grandes terramotos ao longo dos limites das placas tectónicas.

Um dos casos históricos de tsunami que afetou a República Dominicana foi associado ao terremoto de 4 de agosto de 1946 que mencionei anteriormente.

O terramoto, com epicentro ao largo da costa da República Dominicana, desencadeou um tsunami que afetou as zonas costeiras, causando danos adicionais e contribuindo para o impacto global do evento sísmico.

Este evento causou muitos danos e matou mais de 1700 pessoas. Portanto, é classificado como o tsunami mais forte e severo que já atingiu o país.

8. Extremos de temperatura e ondas de calor

Os extremos de temperatura e as ondas de calor referem-se a períodos de temperaturas invulgarmente elevadas que podem ter impactos significativos na saúde humana, ecossistemase diversos setores da sociedade. Estes eventos são frequentemente caracterizados por períodos prolongados de clima excessivamente quente.

Os períodos de ondas de calor extremas também são caracterizados pela ocorrência de incêndios florestais em vários hotspots vegetativos encontrados no país, levando assim à perda de biodiversidade, desmatamento e possivelmente desertificação, especialmente quando este período é acompanhado de seca ou de pluviosidade significativamente baixa.

Na República Dominicana, como em muitas regiões tropicais e subtropicais, as altas temperaturas são comuns. Embora o país possa passar por períodos de calor extremo, o termo “onda de calor” não é aplicado com tanta frequência como em algumas regiões temperadas. Contudo, os impactos das temperaturas elevadas, especialmente durante a estação quente, ainda podem ser substanciais.

Ocorrências de altas temperaturas e ondas de calor na República Dominicana pode levar a desafios como stress térmico, desidratação e aumento da procura de recursos de refrigeração.

Estes acontecimentos podem ser influenciados pela variabilidade climática natural, mas as alterações climáticas induzidas antropogenicamente, como o efeito de ilha de calor urbana causado pela expansão urbana, podem exacerbar a sua frequência e intensidade.

Conclusão

Concluindo, a República Dominicana, situada numa região tropical e sismicamente ativa, enfrenta um desafio multifacetado ao lidar com desastres naturais.

Desde terramotos e tsunamis até aos impactos das alterações climáticas, a nação demonstrou resiliência face às adversidades.

À medida que navegamos numa era de crescente incerteza ambiental, torna-se imperativo que a República Dominicana reforce a sua preparação, mecanismos de resposta e práticas sustentáveis.

Ao integrar o conhecimento científico, o envolvimento da comunidade e políticas inovadoras, o país pode melhorar a sua capacidade de adaptação e prosperar face à natureza complexa e dinâmica dos desastres naturais.

Recomendação

Um entusiasta/ativista ambiental apaixonado, tecnólogo geoambiental, redator de conteúdo, designer gráfico e especialista em soluções de negócios tecnológicos, que acredita que cabe a todos nós tornar nosso planeta um lugar melhor e mais verde para residir.

Vá para o verde, vamos tornar a terra mais verde !!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *